Acompanhe-nos pelo facebook:

                 

http://www.facebook.com/pages/Flor-do-Carmelo-Bauru/222142264591711

 

Bem-vindo!

PAZ E ALEGRIA!

Nós somos o Grupo Flor do Carmelo, pequena florzinha de Nossa Senhora do Carmo, estamos buscando viver a espiritualidade carmelitana na cidade de Bauru, centro-oeste paulista desde 23 de agosto de 2010, quando nos reunimos a primeira vez, ainda na casa de Juliana e Fábio, estes já estavam caminhando com a Comunidade irmã de Nossa Senhora do Carmo de Avaré-SP.

Atualmente nos reunimos na Paróquia Imaculada Conceição - R. Cyrênio Ferraz de Aguiar, nº 3-104 - Pres. Geisel em Bauru-SP todo 3º domingo às 17:00h.

 

                       

 

À todos os(as) irmãos(as) que tenham sede de intimidade com o Senhor e buscam uma espiritualidade para viver e uma comunidade para partilhar, estamos de braços abertos para acolhê-lo, aqueles que simplesmente desejam conhecer mais da espiritualidade do Carmelo, estamos felizes de por este meio partilhar com todos deste grande tesouro.

 

REFLEXÃO

 
 
Imagem relacionada

 

"Motivo poderoso para te fazer praticar a bela virtude da HUMILDADE é o exemplo do nosso Divino Salvador, a quem devemos continuamente amoldar-nos. Ele nos disse no Santo Evangelho: "Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração" (Mt 11, 29). E, com efeito, como nota São Bernardo, qual é o orgulho que a HUMILDADE deste divino Mestre não possa apagar? Com toda verdade se pode dizer que somente Ele se humilhou e se abaixou realmente, e que nós, quando parecemos humilhar-nos, em nada nos abaixamos, visto que apenas assumimos o lugar que nos cabe; porque, sendo nós vis criaturas, culpadas talvez de mil delitos, não temos direito senão ao nada e aos castigos; ao contrário, Nosso Salvador Jesus Cristo se colocou infinitamente abaixo da altura que Lhe convém. Ele é o Deus Onipotente, o Ser infinito e imortal, o Árbitro Supremo de tudo, e no entanto, fez-se homem, débil, passível, mortal e obediente até à morte. Ele sofreu uma privação extrema das coisas temporais. Aquele que é, no Céu, a alegria e a bem-aventurança dos Anjos e dos Santos, quis tornar-se o "homem das dores" e tomou sobre si as misérias da humanidade; a Sabedoria incriada e princípio de toda sabedoria cobriu-se com a vergonha e o opróbrio dos insensatos; o Santo dos Santos, a santidade em essência quis ser considerado criminoso e malfeitor; Aquele a quem adoram, no céu, os inumeráveis exércitos dos bem-aventurados, quis morrer em uma cruz; o Sumo Bem por natureza sofreu toda sorte de misérias temporais. Diante de tal exemplo de humildade, que podemos fazer nós, que somos pó e cinza? Que humilhação poderia parecer-nos excessiva, a nós miseráveis pecadores?"

 

Extraído do Livro A prática da humildade - Gioacchino Pecci (Papa Leão XIII) - p. 46-47 - Ed. Cleófas.

 

 

Também podem participar casais que se identificam com a espiritualidade carmelitana e queiram conhecer melhor o Carmelo Secular. 

 

Programação do Congresso de Casais OCDS

 

1º dia (21/07)

16h – Acolhida

17:30h – Missa

18:30h – Jantar

19:30h – Abertura com Fr. Cleber

20:00h – Completas e Adoração ao Santíssimo (1h)

 

2º dia (22/07)

07:00h – Missa com Laudes

08:00h – Café

09:00h – Palestra: O Castelo Interior na vida matrimonial – Luciano e Ruth

10:00h – Cafezinho

10:30h – Entrando no Castelo a dois – Deserto do casal

11:40h – Avisos

12:00h – Almoço

14:00h – Palestra: Educar os filhos para o céu – João e Izabel

15:00 – Cafezinho

15:30h – Palestra: Meios de comunicação e família – Fábio  e Juliana

16:30h – Cafezinho

17:00h – Momento Mariano – Consagração pessoal do casal a N. Senhora e oração do santo terço meditado para as famílias

20:00h – Jantar especial com os casais fora do Centro Teresiano – Local a definir.

 

3º dia (23/07)

07:00h – Missa com Laudes

08:00h – Café

09:00h – Palestra: Vivendo a  Conjugalidade no matrimônio – Fr. Cleber

10:00h – Cafezinho

10:30 – Avaliação e partilha

11:30h – Palavra do presidente e encerramento

12:00h - Almoço

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PARA REFLEXÃO

 
Resultado de imagem para tempo da quaresma

 

HOMILIA DO PAPA FRANCISCO NA MISSA DE CINZAS

 

(ZENIT- Citade do Vaticano, 1º de março 2017).- O Papa Francisco presidiu, nesta quarta-feira a procissão penitencial que partiu da basílica de Santo Anselmo até a basílica de Santa Sabina, em Roma, onde celebrou a missa com a bênção e imposição das cinzas. Apresentamos, a seguir, o texto da homilia pronunciada pelo Papa.

«Convertei-vos a Mim de todo o coração, (…) convertei-vos ao Senhor» (Jl 2, 12.13): é o grito com que o profeta Joel se dirige ao povo em nome do Senhor; ninguém podia sentir-se excluído: «Juntai os anciãos, congregai os pequeninos e os meninos de peito, (…) o esposo (…) e a esposa» (Jl 2, 16). Todo o povo fiel é convocado para se pôr a caminho e adorar o seu Deus, «porque Ele é clemente e compassivo, paciente e rico em misericórdia» (Jl 2, 13).

Queremos também nós fazer ecoar este apelo, queremos voltar ao coração misericordioso do Pai. Neste tempo de graça que hoje iniciamos, fixemos uma vez mais o nosso olhar na sua misericórdia. A Quaresma é um caminho: conduz-nos à vitória da misericórdia sobre tudo o que procura esmagar-nos ou reduzir-nos a outra coisa qualquer que não corresponda à dignidade de filhos de Deus.

A Quaresma é a estrada da escravidão à liberdade, do sofrimento à alegria, da morte à vida. O gesto das cinzas, com que nos colocamos a caminho, lembra-nos a nossa condição original: fomos tirados da terra, somos feitos de pó.

Sim, mas pó nas mãos amorosas de Deus, que soprou o seu espírito de vida sobre cada um de nós e quer continuar a fazê-lo; quer continuar a dar- nos aquele sopro de vida que nos salva de outros tipos de sopro: a asfixia sufocante causada pelos nossos egoísmos, asfixia sufocante gerada por ambições mesquinhas e silenciosas indiferenças; asfixia que sufoca o espírito, estreita o horizonte e anestesia o palpitar do coração.

O sopro da vida de Deus salva-nos desta asfixia que apaga a nossa fé, resfria a nossa caridade e cancela a nossa esperança. Viver a Quaresma é ansiar por este sopro de vida que o nosso Pai não cessa de nos oferecer na lama da nossa história.

O sopro da vida de Deus liberta-nos daquela asfixia de que muitas vezes nem estamos conscientes, habituando-nos até a «olhá-la como normal», apesar dos seus efeitos que se fazem sentir; parece-nos «normal», porque nos habituamos a respirar um ar em que a esperança é rarefeita, ar de tristeza e resignação, ar sufocante de pânico e hostilidade.

A Quaresma é o tempo para dizer não. Não à asfixia do espírito pela poluição causada pela indiferença, pela negligência de pensar que a vida do outro não me diz respeito; por toda a tentativa de banalizar a vida, especialmente a daqueles que carregam na sua própria carne o peso de tanta superficialidade.

A Quaresma significa não à poluição intoxicante das palavras vazias e sem sentido, da crítica grosseira e superficial, das análises simplistas que não conseguem abraçar a complexidade dos problemas humanos, especialmente os problemas de quem mais sofre.

A Quaresma é o tempo de dizer não; não à asfixia duma oração que nos tranquilize a consciência, duma esmola que nos deixe satisfeitos, dum jejum que nos faça sentir bem.

A Quaresma é o tempo de dizer não à asfixia que nasce de intimismos que excluem, que querem chegar a Deus esquivando- se das chagas de Cristo presentes nas chagas dos seus irmãos: espiritualidades que reduzem a fé a culturas de gueto e exclusão.

A Quaresma é tempo de memória, é o tempo para pensar perguntando-nos: Que seria de nós se Deus nos tivesse fechado as portas? Que seria de nós sem a sua misericórdia, que não se cansou de perdoar-nos e sempre nos deu uma oportunidade para começar de novo?

A Quaresma é o tempo para nos perguntarmos: Onde estaríamos nós sem a ajuda de tantos rostos silenciosos que nos estenderam a mão de mil modos e, com ações muito concretas, nos devolveram a esperança e ajudaram a recomeçar?

A Quaresma é o tempo para voltar a respirar, é o tempo para abrir o coração ao sopro do Único capaz de transformar o nosso pó em humanidade. É o tempo não tanto para rasgar as vestes frente ao mal que nos rodeia, como sobretudo para dar espaço na nossa vida a todo o bem que possamos realizar, despojando-nos daquilo que nos isola, fecha e paralisa.

A Quaresma é o tempo da compaixão para dizer com o salmista: «Dai-nos [, Senhor,] a alegria da vossa salvação, sustentai- nos com um espírito generoso», a fim de proclamarmos com a nossa vida o vosso louvor (cf. Sal 51/50, 14), e que o nosso pó – pela força do vosso sopro de vida – se transforme em «pó enamorado».

Ser Carmelita

 
 
 
Vocação – palavra que usamos habitualmente e não sabemos bem o seu significado.
 
Vocação: é a graça que Deus nos concede para que possamos realizar aquilo a que nos chama.
 
É a capacitação que Deus nos concede para realizar algo. Deus capacita todos os chamados, ou seja, ele dá os meios, os instrumentos para segui-lo.
 
Chamados a ser carmelita.
Se Deus te chamou a vida carmelitana, quer dizer que Ele te deu tudo o que necessitas para chegar a ser um bom carmelita.
 
Deus não chama ninguém a mediocridade.
 
Deus chama a ser em plenitude.
 
Ser carmelita é uma vocação específica, diferente de qualquer outra família religiosa. Ser carmelita é diferente de ser capuchinho, diferente de ser beneditino, diferente de ser marista, diferente de ser diocesano.
 
Por que é diferente?
 
Porque temos um carisma próprio – peculiar – de viver o Evangelho.
 
Temos um estilo, um modo, um jeito de seguir Jesus Cristo diferente das outras Congregações religiosas.
O que é ser Carmelita?
 
1º) Ser uma pessoa de oração.
 
Somos conhecidos na Igreja como uma família dedicada à oração. Precisamos mudar a nossa mentalidade a respeito da oração.
 
A oração não pode ser apenas um momento de repetir fórmulas prontas, mas um momento de intimidade com Deus.
 
A oração para nós “é um relacionamento de amizade com aquele que sabemos que nos ama”.
 
A oração nasce da necessidade de um coração fascinado – atraído – enamorado – encantado por Deus.
A oração é...
- a água que vitaliza;
- o sol que ilumina;
- o motor que move e
- o alimento que fortalece
Ser orante e não apenas fazer oração. Viver na presença de Deus. Colocar os nossos olhos unicamente no Cristo. No dizer de Santa Teresinha: “Não se passou três minutos de minha vida sem que eu pensasse em Deus”.
 
2º) Viver em fraternidade.
 
O desejo de Santa Teresa de que reinasse em nossas comunidades o espírito de família.
 
Fraternidade = Frater = Frei = Irmão. Devemos viver como irmãos uns dos outros.
 
Diz Santa Teresa: Nessa casa ...
- todos hão de se amar;
- todos hão de ser amigos;
- todos hão de se querer bem;
- todos hão de se ajudar;
- todos hão de ser iguais.
 
Para tanto precisamos dialogar. Conhecer para amar.
 
Quanto mais santa tanto melhor de conviver.
 
3º) Ser alegre.
 
Com Santa Teresa se retoma o aspecto festivo da Vida religiosa.
 
Devemos ser realizados em nossa vocação e dar testemunho da alegria de ser carmelita.
 
Devo viver a minha vocação com alegria e não como um peso ou um castigo.
 
Diz Santa Teresa: “De santos tristes, livre-nos Deus”
 
Não pessoas azedas, não pessoas carrancudas, não pessoas fechadas em si mesma, mas sim pessoas alegres, vibrantes, contentes, entusiasmadas.
 
Quanto mais santo, tanto mais alegre.
 
Por isso Santa Teresa introduz juntamente com as duas horas de oração mental, duas horas de recreação. Momento de lazer, de diversão comunitária.
 
4º) Amar e servir a Igreja.
 
Santa Teresa contempla as grandes necessidades da Igreja em sua época e busca fazer tudo o que está ao seu alcance para ajudar a Igreja.
 
Amor filial: “Enfim morro filha da Igreja”
 
Quis que seus filhos estivessem ao serviço da Igreja: “Se não servires a Igreja, não terá cumprido com sua vocação”.
 
Comunhão – adesão –membros desse corpo de Cristo.
 
Temos uma missão dentro da Igreja: FAZER COM QUE TODOS SEJAM AMIGOS FORTES DE DEUS.
 
5º) Ter a Virgem Maria como Mãe, Irmã, Modelo e Protetora.
 
O Carmelo é todo de Maria.
 
Desde o nosso nascimento no Monte Carmelo carregamos essa inestimável graça de ser reconhecidos como a Ordem de Maria.
 
Maria muito mais que nossa mãe e protetora é o grande modelo de vida. Ela é a que ouve a palavra, medita em seu coração e a põe em prática.
 
Para ouvir a Deus precisamos silenciar, por isso o carmelita é um grande amante do silêncio. No dizer de são João da Cruz: “Uma só palavra falou o Pai, Jesus Cristo e falou no eterno silêncio e em silêncio deve ser ouvido pela alma”.
 


 

Para meditar devemos estar em sintonia com Deus, nos desligar de outras preocupações e aprender do próprio Deus. Ele é o nosso “Mestre interior”, o nosso “Livro vivo”.





Postado por Edna de Jesus no Blog da Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus - OCDS - São Roque em 1/25/2014 12:48:00 AM

O ESCUDO DA ORDEM

 

 

A representação do escudo carmelita aparece pela primeira vez em 1499 na capa de um livro sobre a vida de Santo Alberto. Neste desenho o símbolo gráfico aparece sob a forma de um vexillum (estandarte), que logo depois foi modificando-se nos detalhes até assumir a atual forma de escudo heráldico. Não existe uma explicação oficial do escudo, e, por isso mesmo, há uma diversidade de interpretações. Apresentamos aqui as interpretações mais comuns e sensatas.

No escudo tradicionalmente utilizado encontramos 6 elementos:

Uma montanha

Uma montanha estilizada, em geral de cor marrom, com as ladeiras curvadas, cujo cimo se projeta para o céu. Refere-se ao Monte Carmelo, lugar de origem da Ordem do Carmo, mas também categoria que simboliza um caminho espiritual, um projeto de vida, um itinerário para a união com Deus.

Uma cruz no cimo da montanha

No século XVII os Carmelitas Descalços ajuntam uma cruz no cimo da montanha. Também algumas províncias dos Calçados a usam também a partir deste mesmo século, especialmente na espanha. A Província Ciciliana dos Carmelitas da Antiga Observância colocavam a cruz da terra santa no alto do monte. Com o tempo o símbolo foi se definindo como distintivo dos descalços. A Cruz, nossa única esperança, representa o amado Cristo a quem o Carmelita serve com sua consagração e a quem busca unir-se.

Três estrelas

Os símbolos do escudo que mais gera diferentes interpretações são justamente estas estrelas. Uma, dourada, no centro do monte, abaixo; outras duas douradas fora do monte, no céu. Uma interpretação comum interpreta as estrelas como símbolos de personagens importantes da Ordem, estrelas de primeira grandeza, portanto, que brilham no céu do Carmelo. Na lógica desta interpretação a estrela do centro seria o símbolo da Virgem Maria e as outras duas Santa Teresa e São João da Cruz, para os Descalços; Santo Elias e Santo Eliseu, para os Calçados. Alguns ainda querem que uma das duas estrelas acima represente São José. Mas há uma outra interpretação que leva em conta o lugar das estrelas e o fato da Virgem Maria já estar representada no escudo com a Coroa de 12 estrelas. Por isso, segundo esta tradição, a estrela que está no centro do monte, de cor prata, representaria todos os frades que escalam o monte em sua vida terrena, destinados a alcançar a glória de Deus em seu cume. A estrela está no centro, na senda do nada que leva diretamente ao alto. As duas estrelas, de ouro, no céu, representa todos os irmãos que, tendo escalado o monte, reinam com Cristo e a Virgem no céu e intercedem, e iluminam os que ainda ascendem o mesmo monte.

Uma coroa de 12 estrelas

Este é o símbolo incontestável da Virgem Maria segundo a visão de São João no Apocalipse (Apoc 12,1) e por antiga tradição vista como símbolo de Maria, mãe da Igreja, rainha dos apóstolos (12), fundamentos do novo povo de Deus.

Um braço com uma espada de fogo

O braço, segurando a espada de fogo, é inequívoca representação do profeta Elias, pai e inspirador da Ordem, zeloso do Senhor.

Uma faixa com uma inscrição

A faixa, enrolada na espada de Elias, traz a frase do profeta ao ser questionado por Deus sobre o que fazia: “estou ardendo de zelo pelo Senhor Deus dos Exércitos” [1 Re 19,10]. É o grande lema do carmelita que busca a face de Deus, se apaixona por Ele e dedica cada fibra de si mesmo pela sua causa, vivendo em obséquio de seu Cristo, rosto visível de Deus.
 



Fonte: http://www.carmelo.com.br/

 


 

Tópico: Página inicial

Filmes

Data: 02/03/2013 | De: Gabriel

Olá, Gostaria de saber nomes de filmes que é relacionado aos Carmelitas e seus Santos.
Obrigado.

Re:Filmes

Data: 04/03/2013 | De: Juliana

Olá Gabriel,

PAZ E ALEGRIA!
Graças ao Bom Deus, temos várias produções de filmes, para conhecermos um pouco mais da vida dos santos, que se complementa sempre com a leitura de seus escritos.

Tem uma série sobre a vida de Santa Teresa de Jesus, dividida em 8 capítulos, pode ser encontrado na integra no you tube. Chama-se Teresa de Jesus.
De Santa Teresinha do Menino Jesus tem uma produção francesa Thérese, também disponível no you tube.
De Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) - A Sétima Morada, em DVD. (Editora Paulinas)
Do beato Tito Brandsma - Duas Cruzes em DVD. (Editora Paulinas)
De Santa Teresa dos Andes - Com mesmo título, são 3 dvds. (Editora Paulinas)
Das Carmelitas Mártires de Compiégne - Filme antigo em preto e branco, disponível no you tube. Produção francesa excelente.
Que conhecendo mais você possa se apaixonar pelo Carmelo! Fica com Deus!

Orações pelo Santo Padre e pelo Conclave

Data: 19/02/2013 | De: Grupo Flor do Carmelo

Queridos irmãos e irmãs em Cristo,

Neste período de mudanças, oremos para que o Espírito Santo ilumine e fortaleça o Santo Padre nos últimos dias de seu pontificado e conceda a Sabedoria e Entendimento necessários aos nossos cardeais para bem escolherem o novo Papa. E que o Senhor capacite e fortaleça o novo Papa! Oremos todos, ofereçamos todos nossos sacrifícios por uma boa e santa escolha. Deus os abençoe!

Irmãs Carmelitas em Marília

Data: 17/01/2013 | De: Paula Leme

Gostaria de saber se na cidade de Marília existe algum mosteiro das irmãs carmelitas, ou a cidade mais próxima onde eu poss encontrá-las... Grata

Re:Irmãs Carmelitas em Marília

Data: 22/01/2013 | De: Juliana

Olá Paula,
Paz e alegria!
Mosteiro de irmãs carmelitas mais próximo de você, seria em Franca ou Piracicaba. Entre no site: www.carmelo.com.br, tem o endereço de todos os Carmelos no Brasil, assim você poderá entrar em contato com elas. Você deseja ser carmelita? Que o Senhor a abençoe na sua busca... Fraterno abraço.

FELIZ NATAL DO SENHOR A TODOS!

Data: 25/12/2012 | De: Grupo Flor do Carmelo

Queridos irmãos e irmãs em Cristo,

Desejamos um Santo e Feliz Natal do Senhor a todos vocês e seus familiares. E que o Menino Jesus derrame sua bençãos sobre toda a Família Carmelitana!
Um fraterno abraço.

Parabéns

Data: 09/12/2012 | De: Luciano Dídimo

Parabéns ao Grupo Flor do Carmelo pela entrada na Associação e pela iniciativa do blog, que faz com que possamos levar a espiritualidade carmelitana ao mundo de forma criativa e interativa. Grande abraço!

Re:Parabéns

Data: 10/12/2012 | De: Juliana

Obrigado Luciano por todo o apoio que nos tem dado e por sua contribuição para cada um de nós refletirmos com alegria e profundidade este tempo do Advento. Deus o abençoe!

Parabens

Data: 15/11/2012 | De: Izildinha

Oi Juliana,gostei muito que os Santos e Santas Camelitas estejam intercedendo por nosso grupo.
Bom feriado

parabéns

Data: 10/11/2012 | De: Maria Eduarda

Gostei muito da iniciativa de vocês e o blog esta muito alegre e cheio de amor!!!
Beijos
maria eduarda

1 | 2 >>

Novo comentário